Consulte aqui o que aprendemos sobre SEO (para bloggers)

Existem tantos guias de SEO. Ainda assim, decidimos publicar mais um.

Porquê?

Porque até mesmo um blogger iniciante tem de compreender a SEO.

Portanto, este guia destina-se à malta nova (do mundo do SEO).

Neste guia, vai aprender:

  1. O que é a SEO?
  2. Como funcionam os motores de busca?
  3. O que é o SEO On-Page?
  4. O que é o SEO Off-Page?
Johannes Bluth
Johannes Bluth
Última atualização Janeiro 10, 202125 Minutos de leitura
Consulte aqui o que aprendemos sobre SEO (para bloggers)

Qual é a piada mais famosa sobre SEO? É mais ou menos assim…

Você pode ver um meme do filme Pulp Fiction. John Travolta e Samuel L. Jackson estão usando ternos pretos e vemos o texto "O melhor lugar para esconder um cadáver é a página dois dos resultados de pesquisa do Google. Neste post, explicaremos os fundamentos do SEO para que os mecanismos de pesquisa encontrem seu blog

Isto explica muito bem porque é que a SEO é importante.

Pode escrever como um vencedor de um Prémio Nobel e ter um design
vanguardista. Mas se a sua SEO não for boa, ninguém encontrará o seu
blogue… Nem mesmo o John Travolta e o Samuel L. Jackson.

Se estiver agora a perguntar-se: “Mas que raio é isto de SEO?”

Continue a ler. Nós vamos explicar.

1

O que significa SEO?

Hoje em dia, a maior parte dos websites recebe a grande maioria dos seus visitantes através de motores de busca, como o Google ou o Bing. Imagine o número de vezes que pesquisa algo no Google.

A meme from the sitcom The Fresh Prince of Bel-Air with Will Smith. In big capital letters it is written "SEO? Where do I even start?". In this chapter you will find out what SEO stands for and how it influences search results.

SEO = Search Engine Optimization (Otimização de motores de busca)

Na verdade, são feitas quase 85.000 pesquisas no Google a cada segundo.

Por isso, a SEO procura levar o seu website para os primeiros resultados da pesquisa orgânica do Google.

A SEO também garante que os utilizadores o encontrem quando estão à procura de algo.

Existem muitas formas de o fazer. Neste guia vamos focar-nos naquelas que são mais relevantes para os bloggers.

Mas primeiro é preciso compreender como funcionam os motores de
busca. Essa é a parte técnica. Se conseguiu chegar até aqui, irá
aprender 8 técnicas úteis para melhorar a sua SEO.

2

O que é um motor de busca?

O Google não pesquisa apenas na web para encontrar o seu site. Tal como a maioria dos empregadores não bate à sua porta para ver se é a pessoa certa para o trabalho.

Por outras palavras: Tem de provar que é um perito na sua área.

É por isso que o seu trabalho como proprietário de um blogue é
estruturar o seu website e o respetivo conteúdo, para tornar o mais
fácil possível para os motores de busca o encontrarem e classificarem
nos resultados de pesquisa.

Mas como funciona realmente um motor de busca e como é que o encontra?

Para entender melhor, primeiro vamos ver este vídeo:

Muito interessante, não é?

Existem três passos básicos que deve saber:

  • Crawling (rastreamento) – Como é que um motor de busca encontra as páginas de um website?
  • Indexing (indexação) – Como é que o motor de busca decide que páginas vai incluir no seu índice?
  • Ranking (classificação) – Como é que o algoritmo do motor de busca decide que páginas
    correspondem a uma consulta de pesquisa específica (palavra-chave
    (keyword))?

Atenção: Nem todos os motores de busca funcionam da
mesma forma. Neste artigo, falamos principalmente do Google porque é o
mais utilizado.

Vamos explicar melhor estes passos.

1. O que é o Rastreamento?

Um rastreador (crawler) do motor de busca procura permanentemente na
web por quaisquer páginas novas ou atualizadas. Isto é chamado de rastreamento.

Resumindo, só porque se coloca algo na Internet, não significa que o Google saiba que está lá.

Existem muitas formas de tornar o rastreamento mais fácil.

  • Links internos – Utilize links internos onde
    fizer sentido. Desta forma, o rastreador pode encontrar facilmente todas as páginas do seu website.
  • Links externos – Se outras páginas tiverem ligação para a sua página, também será muito mais fácil de o rastreador o encontrar.
  • Níveis baixos de cliques – Cada página do seu website deve estar acessível em 1-3 cliques a
    partir da sua página inicial. Caso contrário, a arquitetura do site
    torna-se muito complicada e pode ser difícil para os rastreadores.

Agora que o Google encontrou o seu blogue, está na hora de passar à indexação.

2. O que é a Indexação?

Um índice de motor de busca guarda todos os dados e
conteúdos relevantes que um algoritmo do motor de busca pode encontrar.
Portanto, o índice do Google não é mais do que uma base de dados ENORME.

Se a sua página for indexável, pode ser apresentada como um resultado de pesquisa no Google.

Antes de mais, tem de ter um código de estado 200 em HTTP. Felizmente, esta é a configuração padrão que diz ao motor de busca que a sua página é válida.

Em seguida, envie a sua página para o índice do Google através da ferramenta de inspeção de URL no Google Search Console.

Quando o seu URL ainda não estiver indexado, será semelhante ao seguinte:

Uma captura de tela mostrando como fica quando o URL ainda não está indexado. Agora vamos mostrar como indexá-lo e enviar a solicitação ao Google.

Agora basta premir “REQUEST INDEXING” (Pedir indexação) para o enviar para o Google.

Esta ação é normalmente muito mais rápida do que esperar que o Google indexe a sua página

Pode aceder à Consola de Pesquisa mais tarde e ver se o seu URL chegou ao Google:

Captura de tela que mostra se o URL solicitado foi indexado e aparece nos resultados de pesquisa do Google. O capítulo a seguir se concentrará na desindexação.

E a desindexação?

Nem todas as páginas são relevantes para a pesquisa. Por isso, também
pode dizer ao Google para NÃO mostrar a sua página como um resultado de
pesquisa. Isto é chamado de desindexação.

Existem diferentes formas de excluir páginas válidas da indexação:

  • Canónica– Defina uma etiqueta canónica na
    página que não quer que seja indexada. Em vez disso, pode escolher outra página do seu domínio que será apresentada nos resultados da pesquisa.
Captura de tela que mostra como definir uma tag canônica na página que você não deseja indexar. Você pode escolher outra página do seu domínio que deseja que apareça nos resultados da pesquisa
  • Bloquear via robots.txt – Isto é normalmente
    utilizado para bloquear vários URL com o mesmo padrão, por exemplo, URL
    com parâmetros ou diretórios específicos.
  • Noindex (sem índice) – Pode definir um URL como “noindex” através de meta robôs. Por
    exemplo, desindexámos a secção Dicas e truques do nosso website, porque
    se destina apenas a um grupo-alvo especial dentro de determinadas
    campanhas de marketing. Portanto, não há necessidade de estas páginas
    serem encontradas na pesquisa orgânica.
Captura de tela que mostra como definir um URL como noindex por meio de robôs meta.

Desindexar com o Yoast

Todas as páginas que não são normalizadas, não bloqueadas por
robots.txt e não definidas como noindex são potenciais páginas
indexáveis.

Relatório de Cobertura do Google Search Console

Por vezes o Google encontra outras razões para não indexar uma
determinada página. Quando isto acontece, consulte o Relatório de Cobertura do GSC para saber se algumas das suas páginas foram excluídas da pesquisa.

Captura de ecrã do relatório de cobertura do Google Search
Console. Quando o Google não indexa uma determinada página, é
recomendável verificar este relatório para ver se algumas páginas foram
excluídas da pesquisa

Então, a sua página foi rastreada e indexada. Fantástico! Agora está na altura de o Google classificar a sua página.

3. O que é a Classificação?

Imagine que está a escrever uma publicação no blogue sobre qual é o
melhor moedor de café para fazer um café expresso. O Google irá
encontrar esse artigo no seu website e classificá-lo de acordo com
outras publicações que abordam o mesmo tópico.

Vemos uma página de resultados de pesquisa do Google. A classificação do Google é uma parte do SEO que consome muito tempo. Mesmo se você estiver aplicando os melhores hacks de SEO e usando ferramentas de SEO, sua página ainda pode ter classificações ruins

Para esclarecer: a classificação é a parte mais demorada da SEO. Mas também é algo que está parcialmente fora do seu controlo.

Pode aplicar os melhores truques de SEO e ainda ter uma má
classificação. ☹️ Por exemplo, quando o seu conteúdo simplesmente não é
interessante.

Para compreender melhor a forma como o Google classifica os resultados da pesquisa, veja este vídeo informativo:

Sobre as atualizações principais do Google

O que funciona hoje não irá necessariamente funcionar amanhã porque o
Google está constantemente a atualizar o seu algoritmo de
classificação, a fim de otimizar a experiência de pesquisa do
utilizador. Esta é uma das razões pelas quais as classificações do seu
website podem piorar ou melhorar, embora não tenha feito alterações.

No passado, houve algumas atualizações muito importantes, por exemplo, a Atualização do Panda e do Pinguim. Pode encontrar uma lista das principais atualizações aqui.

Mas, o que sabemos é que: Pode melhorar as suas hipóteses de ser classificado!

O mais importante é ajudar o motor de busca a compreender do que se trata cada um dos nossos artigos e a página como um todo.

Este processo pode ser dividido em duas partes: SEO On-Page eOff-Page.

3

SEO On-Page vs. Off-Page

Neste guia, vamos concentrar-nos no SEO On-Page.

SEO On-Page = otimizar as páginas e artigos individuais do seu site.

SEO Off-Page = criar links de outros domínios para o seu, os chamados backlinks.

O SEO Off-Page é, sem dúvida, a parte mais difícil porque se trata de reputação e de criação de autoridade de domínio.

Autoridade de domínio = a relevância do seu site para um tópico específico que é avaliado por algoritmos de motores de busca.

Especialmente se é novo no mundo dos blogues, deve começar com um site bem criado e estruturado.

Por isso, vamos lá mergulhar no SEO On-Page!

8 passos de SEO On-Page para bloguistas que realmente funcionam

1. Utilize palavras-chave na sua etiqueta de título e H1

Antes de tudo, pense nas suas palavras-chave!

A Etiqueta de título, o H1 e oURL devem conter a sua palavra-chave principal.

As palavras-chave secundárias podem ser usadas para a meta descrição, os subtítulos e o conteúdo.

Como encontrar as palavras-chave certas para o seu público?

Para otimizar o conteúdo existente, deve verificar:

Google Search Console > Performance (Desempenho) > Queries (Consultas) (utilize o filtro Page (Página) para páginas específicas).

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-11.jpg

Quando está prestes a escrever novos conteúdos, existem muitas maneiras de pesquisar palavras-chave.

Google Suggest

Basta escrever uma consulta específica e o Google irá sugerir consultas de pesquisa correspondentes.

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-13.jpg

Consultas relacionadas

Depois de pesquisar, o Google irá mostrar pesquisas relacionadas com base no seu algoritmo.

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-14.jpg

As pessoas também perguntam

Esta secção mostra-lhe perguntas comuns e específicas que as pessoas fazem. É útil utilizá-las em subtítulos.

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-15.jpg

Ferramentas de palavras-chave

Existem muitas ferramentas de palavras-chave, no entanto, a maioria
são pagas. Para muitos bloggers, isto pode estar fora de alcance.

Um software gratuito é o Keyword Tool. Permite-lhe verificar facilmente a popularidade das palavras-chave.

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-16.jpg

Ahrefs é uma ferramenta paga, mas oferece uma versão
de avaliação de 7 dias por apenas 7 $. Sem dúvida que vale a pena
consultar o seu Keyword Explorer.

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-17.jpg

Em qualquer caso, certifique-se de que utiliza tanto palavras-chave
de cauda curta (short-tail) como de cauda longa (long-tail) no seu
conteúdo.

  • Palavras-chave de cauda curta – são mais
    curtas, mais genéricas no significado e têm um elevado volume de
    pesquisa – as taxas de cliques e as taxas de conversão são tipicamente
    mais baixas, há mais concorrência.
  • Palavras-chave de cauda longa – são mais longas, mais específicas no significado e têm um baixo volume
    de pesquisa – as taxas de cliques e as taxas de conversão são
    tipicamente mais altas, há menos concorrência.

2. Simplifique a navegação

Uma navegação clara no seu website ajuda os motores de busca a interpretar a informação.

Se tiver muitos artigos no seu website, pode usar ferramentas no seu
CMS para criar categorias e etiquetas para estruturar o seu conteúdo.

Além disso, pode utilizar estas duas características:

  • Navegação estrutural (Breadcrumb Navigation) A
    navegação estrutural ajuda os motores de busca a compreender a relação
    entre as subpáginas individuais, porque mostram o caminho completo para a página ou publicação atual. Se o tema do seu website instalado não
    tiver uma navegação estrutural, pode adicionar uma através deadicionais, como o Yoast SEO ou o Breadcrumb NavXT. plug-ins
  • Índice Para artigos e páginas com um texto muito longo, também é útil incluir um índice. Estes também podem ser criados com como o Table of Content Plus ou o Easy Table of Contents. plug-ins,

3. Utilize URL curtos

A palavra-chave principal da publicação no seu blogue deve ser sempre incluída no seu URL.

Fora isso, mantenha as coisas simples e curtas.

Por exemplo, utilize algo do género:

https://bloguedecafe.com/melhores-moedores-cafe

em vez de:

https://bloguedecafe.com/2020/publicacao/quais-sao-os-melhores-moedores-de-cafe-para-expresso

Os URL também são apresentados nos resultados de pesquisa dos motores
de busca para os ajudar a compreender o que está na página.

É bom saber: Defina sempre o seu URL antes de a página entrar em funcionamento. Não é recomendado alterar um URL depois de uma página ter sido publicada, porque pode causar erros se o Google já tiver indexado a primeira versão do URL.

4. Utilize títulos e subtítulos

Utilize sempre títulos para estruturar os seus artigos e páginas.

Utilize, pelo menos, H1, H2 e H3 para estruturar o seu conteúdo. E respeite a sua hierarquia:

  • H1 – utilizado apenas uma vez
  • H2 – pense nele como um capítulo de um livro/artigo
  • H3 – utilizado apenas após os títulos H2

Isto ajuda os motores de busca a compreender a estrutura da sua página.

Evite utilizar títulos para nomear áreas como a navegação, a barra
lateral ou o rodapé no seu site. Os títulos devem estar sempre
relacionados com o conteúdo principal da sua página.

5. Utilize multimédia

Existem imensos formatos de multimédia que pode utilizar para apimentar o seu conteúdo.

  • Fotografias
  • Capturas de ecrã
  • Vídeos
  • Infográficos
  • Estatísticas
  • Ilustrações
  • GIF

O conteúdo de multimédia capta a atenção dos leitores no seu conteúdo.

Ao adicionar qualquer conteúdo de multimédia ao seu website, deverá fazer o seguinte:

  1. Certifique-se de que o nome do ficheiro que está a utilizar contém a palavra-chave principal.
  2. Certifique-se de que o título contém uma palavra-chave principal.
  3. Certifique-se de que o Alt Tag no HTML contém a palavra-chave principal.

Os motores de busca não conseguem compreender instantaneamente as
imagens como os humanos compreendem. Eles precisam de mais informações.
Ao ler o título e o Alt tag, o rastreador consegue obter uma visão
aproximada do que se trata o conteúdo multimédia.

Não se esqueça das pessoas com deficiência visual que utilizam
leitores de ecrã. Ao fornecer o Alt tag, elas conseguem compreender o
que a sua imagem está a apresentar. Assim, para a usabilidade e a SEO, é
sempre recomendável adicionar um título e um texto alternativo (alt
text) às suas imagens.

6. Melhore a velocidade do site

Os motores de busca preocupam-se muito com a velocidade do site.
Porque a experiência do utilizador é simplesmente muito melhor se o site
carregar rapidamente.

A velocidade do site depende principalmente do seu serviço de alojamento web, do tema e do tamanho da imagem.

As ferramentas, como o Google PageSpeed Insights ou oWebPageTest, irão verificar a velocidade de carregamento do seu website.

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-18.jpg

A utilização do armazenamento temporário – por exemplo, armazenar e
servir dados e imagens de uma forma mais eficiente – ajuda-o a eliminar
ou, pelo menos, a melhorar os tempos de carregamento.

Para o WordPress, existem plug-ins disponíveis para
implementar processos de armazenamento temporário, incluindo o WP Super
Cache, o W3 Total Cache ou o WP Rocket.

7. Adicione links internos e externos

Conforme já foi mencionado, os links internos e externos são importantes para a SEO.

Eles ajudam os motores de busca e os visitantes a compreender:

  • as páginas do seu website que são mais relevantes.
  • e como estão ligadas.

Portanto, certifique-se de que as suas páginas mais importantes
recebem muitos links internos. Mas não exagere só por causa da SEO, se o
link não for relevante.

Pode ver um bom exemplo de como implementar links internos na Wikipedia.

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-19.jpg

Certamente que o seu website não é tão complexo como a Wikipédia, mas percebeu a ideia.

Por que é que os links externos são ótimos para SEO

Muitos proprietários de websites hesitam em incluir links externos nos seus conteúdos.

Não faça o mesmo!

Enviar pessoas para longe do seu website pode parecer mau, mas não é.

O mais importante é manter tudo natural. Por isso, se escrever sobre
moedores de café e utilizar links externos para uma marca que vende
cafeteiras, não há problema.

Portanto, tenha em mente que deve incluir, pelo menos, um link externo em todos os seus artigos.

Este pequeno vídeo dá-lhe algumas dicas sobre como utilizar
corretamente os links externos e aumentar a visibilidade do seu website.

Assegure-se sempre de que ao inserir links externos estes irão abrir num novo separador. Desta forma, os utilizadores permanecem no seu website quando clicam no link.

8. Adicione Meta etiquetas (meta tags)

As Meta etiquetas dizem aos motores de busca e aos utilizadores de que se trata o seu conteúdo.

Encontram-se normalmente no elemento do Código HTML. Muitos Sistemas
de Gestão de Conteúdos (CMS) têm campos personalizados para definir meta
tags ou pode utilizar plug-ins como o Yoast ou o WP Meta SEO.

Para cada página e artigo, deve ter:

  • um meta título (Meta Title)
  • uma meta descrição (Meta Description)

Eles vão dizer ao Google como mostrar a sua página nos resultados da pesquisa.

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-20.jpg

O meta título é apresentado no topo do resultado da pesquisa em azul.

É limitado a cerca de 60 caracteres de comprimento. Os títulos mais longos serão cortados ou substituídos.

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-21jpg.jpg

O meta título é um fator de classificação muito importante, por isso
certifique-se de que contém a palavra-chave principal do artigo.

A meta descrição é apresentada em baixo.

https://amazon-affiliate.eu/content/uploads/seo-for-bloggers-guide-uk-22.jpg

É limitada a cerca de 160 caracteres. Até as meta
descrições personalizadas são frequentemente cortadas ou substituídas
pelo Google. Se o algoritmo decidir que algumas partes do seu conteúdo
são mais relevantes do que a verdadeira meta descrição, ele irá
substituí-lo.

Felizmente, a meta descrição não é tão relevante para SEO. Contudo,
deve ser bem escrita para convidar os seus potenciais leitores a clicar
no resultado da pesquisa.

4

SEO Off-Page – Como obter backlinks

A maioria das pessoas no setor diz que o SEO Off-Page é MUITO difícil.

Se alguém colocar no respetivo blogue um link para a sua página, isto é chamado de backlink. Porque liga literalmente o seu site através de uma prova social. Isto cria confiança.

Se milhares de sites de qualidade se ligam a si, não há dúvida de que oferece algo que as pessoas QUEREM.

Não se esqueça: O sucesso dos motores de busca como o Google depende de dar EXATAMENTE às pessoas aquilo que elas querem.

Por isso, os backlinks são um fator de classificação muito importante.

Mas apenas se forem provenientes de sites de alta qualidade (que também têm backlinks de outros sites).

Mas como conseguir estes backlinks de alta qualidade?

O processo em si é simples, mas não é fácil:

  1. Crie conteúdo que as pessoas considerem digno de colocar um link no respetivo blogue (SEO On-Page).
  2. Promova o seu conteúdo.

Em geral, os backlinks devem ser provenientes de websites que
estejam de alguma forma relacionados com o seu negócio. Se promover
moedores de café e receber backlinks de blogues de beleza (digamos, porque é amigo dos proprietários), os motores de busca podem ficar confusos.

Por que é que comprar links é mau…

Os backlinks não devem ser confundidos com publicidade.

Se pagar a alguém para colocar um link para a sua página, isso é chamado de compra de link.
Já foi, em tempos, uma indústria enorme, mas hoje em dia os motores de
busca são suficientemente inteligentes para identificar links comprados e
diminuir a sua classificação.

Por outro lado, os backlinks devem parecer sempre naturais (muitas vezes ligados através de texto âncora da marca).

… e a criação de links é melhor!

Aqui estão algumas formas de potencialmente conseguir backlinks de alta qualidade sem esperar apenas que as pessoas cheguem até si:

  • Escreva publicações de convidado (guest posts) para outros websites (relacionados).
  • Encontre links externos partidos em sites relacionados e peça-lhes para colocar um link para a sua página (de alta qualidade e altamente relevante).
  • Esteja atento aos backlinks partidos (por exemplo, ao utilizar ferramentas de SEO, como o Ahrefs Site Explorer).
  • Crie links para páginas externas quando for necessário – poderão devolver o favor.
  • Conheça pessoas que partilhem a sua paixão e crie uma rede de contactos.

Todas estas estratégias são chamadas de criação de links (link building).

É tudo para o SEO Off-Page.

Agora, está na hora de resumir as coisas!

Por que é que todos os bloggers necessitam de SEO

As estatísticas falam por si:

  • 75% de todos os utilizadores nunca passam da primeira página do Google quando procuram algo.
  • 91% de todas as páginas da Internet não obtém qualquer tráfego do Google.
  • 70,6% de todo o tráfego dos websites é proveniente dos principais motores de busca (Google, YouTube, Bing, Yahoo).

Voilà! Consegue pensar em três razões melhores para a importância da SEO? Nós não.

É bom saber que nenhum site novo será classificado magicamente na
primeira página do Google dentro de poucos dias, semanas ou mesmo meses.

Na verdade, a investigação tem mostrado que a maioria dos conteúdos
da página n.º 1 foi publicada há vários anos. Mas uma vez chegando lá,
há grandes probabilidades de lá ficar durante muito tempo.

Conteúdo